Voltar

Prefeitas emedebistas das cinco regiões compartilham experiências de gestão

15/08/2019 - 17:15

As experiências de prefeitas das cinco regiões do País foram apresentadas em painel no Encontro Mulher, Política e Cidadania, realizado nesta quinta-feira (15), em Brasília. As mulheres emedebistas descreveram as dificuldades enfrentadas e o trabalho desenvolvido por elas para superar os problemas enfrentados.

     Zilda Resende, Prefeita de Doverlândia, no Goiás, apresentou a série de ações implementadas por ela desde o primeiro de sua administração. “Assumi a cidade totalmente destruída, com ruas abandonadas, sem hospital. Nós assumimos em um momento em que país passa por uma crise financeira e crise política. Arregacei as mangas, parti para a luta. Muitas vezes saí de Brasília 17h para chegar em Doverlândia às 2h. Limpamos as ruas, acabamos as obras da Academia da Saúde e apresentamos vários programas sociais para a nossa cidade”, afirmou.

O interesse pela política surgiu logo que começou sua carreira como agente de saúde, em meados dos anos 90. “Senti a necessidade de fazer algo mais pela nossa população. Compus uma Câmara, de 9 vereadores, sendo eu a única mulher. Com o passar do tempo resolvi dar um passo maior, me candidatando à prefeita de Doverlândia. Hoje entendo que tomei a atitude certa ao fazer parte do MDB, partido comprometido com o Brasil”, elogiou.

     Mesmo sem nunca ter exercido nenhum cargo eletivo, a Prefeita de Itapetininga, interior de São Paulo, Simone Marquetto, se sentia pronta para administrar a cidade com 160 mil habitantes. “Nós mulheres sabemos lidar com o dia a dia e com a rotina. Aconselho a todas a fazer, que o resultado aparece. Mas nunca falem ‘eu prometo’. Peça o voto de confiança e crie propostas de confiança”, declarou.

Simone afirmou ainda que quando assumiu a administração municipal havia mais mais 2500 crianças fora das creches. “Hoje todas foram atendidas e ainda tenho 500 vagas sobrando. Trabalhamos muito em todas as áreas de desenvolvimento e podemos comemorar o fato de sermos a 5ª cidade que mais investe no agronegócio e sermos 8ª cidade mais segura para se viver”, disse.

     Norte e Nordeste – Eleita pela segunda vez em 2016, a advogada Juliana Almeida tomou a iniciativa de levar estrada para o pequeno município de Mar Vermelho, interior de Alagoas. “O município de Mar Vermelho é o segundo mais pobre de Alagoas, sobrevive com a ajuda dos governos federal e estadual. Hoje faço o estado inteiro conhecer minha cidade. Criei um Festival de Inverno, que já está na 7ª edição e somente no último final de semana recebeu 33 mil visitantes. É o 5º melhor festival do nordeste escolhido pelo portal Terra. Realizamos tudo isso com recursos próprios”, orgulha-se.

     A deputada estadual Alessandra Campelo (AM) representou a prefeita de Pedra Branca, Elizabeth Pelaes (AP) e destacou os principais enfrentamentos das mulheres na política na região Norte. “As coisas no norte e no nordeste não são fáceis. Economicamente são as regiões com os piores Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. O interior do estado é todo subdesenvolvido. Para nós, mulheres, além das distâncias geográficas no estado, ainda temos que enfrentar as dificuldades do dia a dia, da nossa dupla jornada”, pontuou.

     Sul – Já a prefeita Cleci Veronezi, da cidade de Rancho Queimado, em Santa Catarina, incentivou as mulheres que já têm mandato de vereadoras a se engajarem em uma disputa eleitoral para a prefeitura de suas cidades. “Eu entendo que a política é a melhor maneira de mudar a vida das pessoas. Sei que não vamos mudar o mundo, mas se conseguirmos melhorar a vida em nossa cidade, já terá valido a pena”, ressaltou.

Acesse aqui as apresentações das prefeitas.

ASCOM FUG Nacional e MDB Mulher

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.



Deixe um comentário

O seu e-mail nunca vai ser publicado. Campos obrigatórios *

*
*