Voltar

País avança 1,04% após três anos de queda

19/02/2018 - 18:10

Este é o primeiro avanço anual após três anos de queda, desde 2013, quando havia subido 4,48%; IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira

BRASÍLIA – O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) acumulou alta de 1,04% em 2017, informou o Banco Central (BC). O porcentual diz respeito à série sem ajustes sazonais. Este é o primeiro avanço anual após três anos de queda, desde 2013, quando havia subido 4,48%.

Considerado uma espécie de prévia do BC para o PIB por analistas, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A previsão oficial do BC para a atividade doméstica em 2017 é de avanço de 1,0%, sendo que este número havia sido informado em dezembro. O IBGE divulgará o dado oficial do PIB do ano passado apenas em 1º de março. Para 2018, o BC estima um crescimento de 2,6% para a economia.

O resultado ficou dentro do esperado pelo mercado financeiro. Conforme levantamento do Projeções Broadcast, as estimativas para 2017 variavam de +0,90% a +1,20%, com mediana de +1,10%.

Após subir 0,30% em novembro (dado já revisado), a economia brasileira registrou nova alta em dezembro de 2017. O IBC-Br avançou 1,41% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal, informou a instituição.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 137,50 pontos para 139,44 pontos na série dessazonalizada de novembro para dezembro. Este é o maior patamar para o IBC-Br com ajuste desde junho de 2015 (139,80 pontos).

Na comparação entre os meses de dezembro de 2017 e dezembro de 2016, houve alta de 2,14% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 136,47 pontos em dezembro, ante 133,61 pontos de dezembro do ano passado. O patamar de 136,47 pontos é o melhor para meses de dezembro desde dezembro de 2014 (145,48 pontos).

Este matéria foi originalmente publicado no ESTADÃO, no dia 19 de fevereiro de 2018

Link: https://goo.gl/HAiCih 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.



Deixe um comentário

O seu e-mail nunca vai ser publicado. Campos obrigatórios *

*
*